Notícias

Pedro Martins responde sobre demissão de Pepa e comunicação da diretoria com o torcedor

Após a coletiva de apresentação do novo treinador do Cruzeiro, Zé Ricardo, o diretor de futebol do clube, Pedro Martins, concedeu uma entrevista coletiva e respondeu algumas perguntas feitas pela imprensa.

Pedro Martins começou respondendo sobre a comunicação da diretoria, que demorou para se pronunciar após a saída do técnico Pepa. O dirigente afirmou que não pode ir à uma entrevista e não dar uma resposta, e que foi se pronunciar após o acerto com Zé Ricardo, que é quando havia uma resposta para a torcida.

“Eu não posso vir aqui, e não dar uma resposta. Eu estou aqui para dar uma resposta quando a gente tem uma resposta, que é a escolha de um novo treinador. E como a gente leva isso muito a sério, a gente tomou o tempo necessário para avaliar, para conversar, para entender se o treinador concordava com tudo que estava sendo construído aqui”, afirmou o dirigente.

Questionado sobre a ideia inicial que foi divulgada pela imprensa, de buscar um treinador somente até o final de 2023, e que Zé Ricardo assinou até o final de 2024, Pedro Martins afirmou que isso foi especulação da imprensa e que não sabe como foi construído.

“Não teve mudança, isso foi o que foi especulado por vocês. Eu não sei como isso foi construído. Mas em todo momento a gente estava procurando um líder para o projeto, a gente estava procurando alguém que entendesse o Cruzeiro e respeitasse o que está sendo construído aqui e conseguisse levar o clube para o segundo nível. Identificamos isso no Zé, uma vez que identificamos isso nele, a ideia foi construir o prazo de contrato até o final de 2024”, disse.

O dirigente foi questionado sobre a responsabilidade da diretoria nos erros que aconteceram desde a chegada da SAF. Pedro Martins relembrou o que a gestão encontrou na chegada à equipe e o que tem hoje no clube.

“A responsabilidade é do clube, acho que desde o início quando a gente começa a reconstrução do Cruzeiro. Fazendo uma avaliação de tudo que existia lá para trás, clube que não tinha dinheiro para pagar a conta de luz, que atrasava salários dos atletas, dos funcionários. Clube que não tinha estrutura física de trabalho, que não tinha um norte, não sabia onde queria chegar, esse é o Cruzeiro quando chegamos. E desde então a gente vem construindo, e a gente vem sendo bem claro, precisamos reconstruir os valores dessa instituição, o que é a reconstrução de valor? É fazer uma instituição forte, um clube com capacidade de projetar o seu futuro e firme e forte o suficiente para passar pelas dificuldades. E isso vem sendo feito, hoje a gente tem um clube estruturado, extremamente profissional”, disse.

Assista a entrevista coletiva de Pedro Martins

Veja mais

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo