Notícias

Mascote do Cruzeiro, raposão completa 21 anos

Raposão foi criado em 2003

Mascote icônico do Cruzeiro, o raposão completou neste sábado (23) 21 anos. Criado em 2003, o mascote se tornou uma referência quando se fala da história e da representação da força do Cruzeiro. Veja abaixo algumas curiosidades.

Por que a raposa como mascote?

O Cruzeiro existe desde 1921, mas passou a ter um mascote somente a partir de 1945. Na época, o chargista e professor Fernando Pieruccetti, associou a astúcia e a rapidez da raposa ao presidente do clube, Mario Grosso, conhecido pela sua esperteza nas negociações de jogadores.

Criação do raposão

No entanto, o mascote ainda não estava simbolizado dentro de campo, o que aconteceu somente 58 anos depois. Assim, em 2002, o empresário Paulo Nélio assumiu o departamento de Marketing do Cruzeiro, e com uma robusta equipe, criou em 2003 o raposão.

Primeiro jogo em campo

A estreia do raposão aconteceu no duelo entre Cruzeiro e Tupi, pela rodada do Campeonato Mineiro do 2003. O jogo aconteceu no Mineirão, e terminou com goleada celeste por 4×0: 3 gols de Alex e 1 gol Deivid.

Símbolo da tríplice coroa

Portanto, como era de se esperar, o raposão se tornou um dos símbolos da tríplice coroa, em 2003. Na temporada, o Cruzeiro conquistou o Campeonato Mineiro, o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil, com um aproveitamento absurdo.

Atuação fora de campo

Por fim, vale ressaltar que o raposão também é importante fora de campo, seja com o Cruzeiro em outras modalidades, ou nos âmbitos educacionais e médicos. Por exemplo, o mascote já participou na tradicional corrida de rua do clube várias vezes.

Além disso, tanto ele quanto o raposinho são presenças constantes em visitas a hospitais, sobretudo que fazem tratamento contra o câncer.

Veja mais

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo