BaseNotícias

Ex-Cruzeiro busca recomeço na Itália após grave lesão e “abandono” no São Caetano

Matheus Vieira teve uma passagem pela Raposa entre 2021 e 2022

O zagueiro Matheus Vieira, de 22 anos, ex-Cruzeiro, busca o seu recomeço no futebol no Sangiustese, da quinta divisão da Itália. Em uma entrevista exclusiva do GE, o jogador citou um “abandono” após grave lesão enquanto atuava no São Caetano, quando acabou perdendo toda temporada de 2023.

Matheus Vieira passou pelo Cruzeiro entre 2021 e 2022, após sua trajetória no São Paulo. O jovem chegou a se destacar pelo clube celeste, no entanto, com o momento complicado que a equipe viveu e a transição para a SAF, acabou deixando a Toca da Raposa.

Durante sua trajetória em Belo Horizonte, Matheus Vieira chegou a ser relacionado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo, para uma partida da Série B do Campeonato Brasileiro.

Depois da sua passagem pelo Cruzeiro, o zagueiro assinou com o Moto Club, onde conseguiu novamente se firmar e permaneceu até se transferir para o São Caetano, onde receberia a chance de disputar a Série A2 do Paulista.

No entanto, o jovem acabou sofrendo uma lesão dois meses após sua chegada no clube, e iniciou então um problema de relação com os representantes da equipe.

Contratado em dezembro de 2022, o São Caetano optou em assinar o vínculo profissional em janeiro, no entanto, antes disso, Matheus Vieira sofreu a lesão e foi informado que não teria mais o contrato assinado.

“Em dezembro (de 2022), todo mundo estava para assinar. Estava todo mundo treinando, mas ainda sem contrato. Eles estavam esperando chegar perto do início do campeonato para registrar todo mundo. Eu tinha recebido uma vez, por dezembro, porque trabalhei o mês todo. Quando estava prestes a chegar o campeonato, a gente ia assinar. Eu tinha mandado toda a documentação para registrarem, mas tinha machucado prestes a assinar”, afirmou o jogador.

“Quando machuquei, falei que ia assinar, porque havia sido prometido. E eles falaram: ‘Como você machucou, a gente não pode registrar, senão perdemos uma vaga, se quisermos contratar outro para o seu lugar’. Eu falei: ‘Isso não existe, estou aqui de palhaço, porque estou treinando e não posso assinar?’ Foi desgastante”, concluiu.

O jogador ainda citou que precisou fazer a cirurgia pelo SUS, em um hospital de Jabaquara, e que o clube não tinha o suporte pós-cirúrgico.

“Eu precisava correr atrás. Foi onde eu consegui fazer minha cirurgia em um hospital de Jabaquara, pelo SUS. Sei que o SUS tem muita qualidade, mas a gente não sabe como vai ser a cirurgia. O clube não tinha o suporte para o pós-cirúrgico. Eu não tinha o suporte que deveria ter. Fica sempre a incerteza sobre o que ia acontecer. O clube tem que arcar com o que é prometido. Se você se lesiona e tem que passar por cirurgia, tem que ser em um hospital particular, onde tenha um suporte melhor. O SUS também tem, mas no particular é diferente, o auxílio é diferente”, afirmou.

Matheus Vieira busca agora seu recomeço no futebol italiano, onde conseguiu uma oportunidade no Sangiustese, que disputa a quinta divisão nacional.

“Antes de acertar com o clube, eu vim para morar na Itália. Como eu ainda estava na fase final de recuperação, era produtivo esperar mais um pouco pelo interesse de algum clube. Foi diferente, mas eu fui me adaptando, fazendo o meu papel fora. Tive alguns contatos, também. Um parceiro meu da época do São Paulo tinha contato com um empresário italiano que coloca jogadores em alguns clubes. Eu conversei com ele, ele me apresentou alguns clubes, e foi onde que eu tive a oportunidade de chegar aqui”, disse.

Um fato curioso é que o Sangiustese fica em Morrovalle, a mais de 100km de Fano, onde Matheus Vieira reside com seus familiares. O zaguei percorre o trajeto diariamente com baldeação entre uma linha de ônibus e duas de trem.

“Uma rotina diferente. Eu estava acostumado a ficar alojado, o clube pagava uma casa para eu ficar mais perto em dias de treino para ir andando, ou ia de carro com outros atletas. Hoje, eu tenho que acordar 8h, pegar ônibus até a estação de Fano, que é onde eu moro. Depois, pego o trem até Ancona, depois outro até a região do clube, Morovalle. Tenho que fazer isso todos os dias. Só no sábado que não precisa ter a volta, é só na parte da manhã. Sábado a gente concentra em um hotel, para mim é melhor, porque não tem o desgaste da viagem de volta”, destacou o jogador.

Até o momento são 9 partidas disputadas pelo Sangiustese, sendo 7 como titular. O zagueiro ainda acumula uma assistência para gol, e vem conquistando cada vez mais o seu espaço no time italiano.

O jogador ainda falou sobre os seus objetivos nesta temporada. Matheus Vieira disse que espera poder terminar a competição bem e jogar, que é o mais importante. O atleta ainda sonha em conquistas grandes coisas no futebol.

“Quero poder terminar a competição bem, jogar, que é o mais importante, depois do ano de 2023 que eu passei. Quero poder conquistar grandes coisas pessoais, que eu sempre sonhei. Quero escrever minha história na Europa. Sempre foi meu sonho. Posso conquistar isso ainda. Posso ter um bom nome aqui na Itália, quem sabe na Europa, conquistar grandes coisas, chegando numa Série A, Série B. É o meu objetivo”, concluiu.

Veja mais

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo