quinta-feira, agosto 11, 2022
HomeNotícias do CruzeiroComentarista de arbitragem explica lance em que Fábio toca com a mão...

Comentarista de arbitragem explica lance em que Fábio toca com a mão na bola fora da área

Nadine Basttos analisou a jogada e explicou o motivo do VAR não ter chamado o árbitro

Na última quinta-feira (23) o Cruzeiro enfrentou o Fluminense, no Maracanã, o duelo foi válido pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Durante o confronto, um lance em que o goleiro Fábio toca a bola com a mão fora da área chamou atenção e gerou muitas reclamações por parte dos torcedores cruzeirenses.

Aos 47 minutos do primeiro tempo, o Fluminense vencia por 1 a 0, Rodolfo disputava a bola no lado direito do campo, Fábio agarrou a bola dentro da área e escorregando acabou tocando na bola, fora da marcação da área.

O árbitro de campo não marcou o lance, os jogadores do Cruzeiro chegaram a reclamar da jogada, Edu recebeu o cartão amarelo por reclamação, assim como o técnico Paulo Pezzolano.

Mas e ai, era lance para o VAR?

A equipe de reportagem do Diário Celeste procurou a comentarista de arbitragem, Nadine Basttos, ex-árbitra FIFA. E ela nos explicou a jogada polêmica da partida.

Nadine explicou que nem sempre o lance é para expulsão, se for uma oportunidade clara de gol, aí o árbitro pode apresentar o cartão vermelho. Segundo a comentarista, o árbitro de campo deveria ter marcado a infração, mas por não se tratar de um lance de expulsão, o VAR não pode interferir.

“Então, não é sempre que o lance será para expulsão. Se for uma oportunidade clara de gol, aí sim. Nesse casa a infração foi clara o árbitro deveria ter marcado, porém o VAR não pode interferir por não ser lance de cartão vermelho. Tinha dois jogadores de Fluminense ali ainda que poderiam tentar disputar a bola, então não ficou caracterizado uma oportunidade clara de gol”, disse a comentarista.

A comentarista ainda citou quais circunstâncias devem ser consideradas pela arbitragem neste tipo de lance: a distância entre o local da infração e a meta; a direção em que a jogada se desenvolvia; a possibilidade de manter ou de controlar a bola; a posição e o número de defensores.

No entanto, com a análise de Nadine Basttos, fica claro que o erro foi do árbitro de campo, o VAR não poderia mesmo interferir na jogada, por não ser um lance para expulsão.

6 COMENTÁRIOS

  1. se o Var não pode interferir num lance em que nem falta foi dado, isso quer dizer que sua função em corrigir os erros só serve para casos específicos e o prejudicado fica com o prejuizo, ou será que a arbitragem brasileira, tem uma tendência a puxar para o mandante, o surpreso para mim é que as casas de apostas dão como o fluminense o classificado, engraçado que todos os erros foram contra o visitante, e como não vemos critérios, fica a dúvida até quem diz que está correto ou não, queria ver se fosse o contrário, ou será que no jogo da volta veremos a verdade, ou será que pau que em Chico passa longe do Francisco, o que era para ser a salvação virou uma Vargonha, é o senso de justiça que existe neste país, aqui o dinheiro é que manda…

  2. Vergonha para o árbito, vergonha para o bar. Esse pcomentarista de arbitragem foi pior ainda.
    Explicar o inesplivavel. Fato: Podem investigar tem algo ilegal por traz.

  3. Engraçado que o VAR viu o Geovane do Cruzeiro pegando forte o jogador do fluminense e foi expulso, e não viu o acho que André do Fluminense fazendo mesmo coisa com jogador do Cruzeiro
    Olha que no jogo do Vasco foi a mesma coisa, zagueiro acredito o Edu com soco pelas costas, árbitro estava perto do lance, o quarto árbitro de frente pro lance, e o VAR também não viu
    Abre o olho Ronaldo, aí tem coisa errada

  4. Deixa de choradeira, expulsaram o jogador do Criciúma aqui no Heriberto hilse sem ter feito nada, anularam um gol legítimo do tigre, tudo pra ajudar o Cruzeiro. Então para de mimimimi

Deixe uma resposta

Leia também

Mais popular