sábado, outubro 16, 2021
HomeCrônicasFutebol feminino celeste encerra temporada 2020 com saldo positivo

Futebol feminino celeste encerra temporada 2020 com saldo positivo

Se engana quem vê como negativo; a não conquista do Campeonato Mineiro pela equipe de futebol feminino celeste. Pois, é justamente o contrário. Afinal, as Cabulosas tem muito mais a comemorar na temporada 2020.

Ademais, com inicio no duelo contra o São Paulo pelo Brasileiro Feminino A1, a caminhada se findou em duelo contra o Atlético pela final do Campeonato Mineiro Feminino. Por fim, vale ressaltar também feitos como os 2 jogos no Mineirão: Grêmio e Atlético-MG.

Mudanças e mais mudanças

Como de praxe, os contratos no futebol feminino brasileiro ainda são curtos. Portanto, o inícios de 2020 contou com várias mudanças no elenco celeste. Pois, foram ao todo 11 atletas chegando, e apenas as 11 mantidas do elenco de 2019.

Além disso, Jorge Victor foi promovido ao posto de técnico com a saída de Hoffman Túlio; e as categorias de base foram suspensas. Assim, com várias mudanças, as Cabulosas tinham pela frente o Brasileiro Feminino A1 onde enfrentariam grandes equipes do futebol brasileiro.

Uma nova competição, numeração fica e o Troféu Guará

Ainda sem iniciar o Brasileiro Feminino A1, o futebol feminino celeste já conhecia a tabela de quem enfrentaria: 8 equipes paulistas; 3 equipes catarinenses; 2 equipes amazonenses; 1 equipe carioca e 1 equipe baiana. Porém, apesar dos desafios, duas notícias boas chegaram. Assim, o clube definiu uma numeração fixa, com as atletas passando a ter o nome na camisa; além de as Cabulosas receberem o Troféu Guara pelo título do Campeonato Mineiro de 2019. Ademais, vale ressaltar também a boa colocação no ranking da CBF, ainda mais se levando em conta que a equipe estava no seu primeiro ano de existência.

Chegou a hora

Enfim, se iniciava o Brasileiro Feminino A1! Assim, diante do seu algoz na decisão da A2, a equipe feminina celeste mostrou força e venceu por 1×0, em casa; nessa vitória, brilhou novamente e estrela de Vanessinha, além da estrela da estreante Mary Camilo, que se mostrou uma grande goleira e ficou como titular até o fim. Portanto, assim se seguiu a campanha celeste que culminou com um aproveitamento de 51,1% ao final do certame nacional: 7 vitórias; 2 empates e 6 derrotas. Assim, o futebol feminino celeste se despedia da competição com uma sonora goleada sobre o Osasco Audax na última rodada. Ademais, vale ressaltar dois pontos, sendo o primeiro deles a demissão de Jorge Victor e a contratação de Marcelo Frigério, durante a competição. O segundo ponto a se destacar é justamente a permanência assegurada na 13° rodada, sendo que esse era o objetivo principal da temporada até então.

Cabulosas também na seleção

Ao longo de 2020, duas atletas em especial colecionaram convocações: Duda e Micaelly. Assim, sendo a maioria delas pela seleção sub-20, as duas se destacaram tal qual se destacavam no clube, e são  bem cotadas para futuras convocações. Porém, não menos importante, outras duas atletas se destacaram por convocação: Vanessinha e Mayara. Portanto, é importante destacar também que todas as 4 foram titulares no Brasileiro Feminino A1, e 3 se mantiveram como titulares no Campeonato Mineiro.

A busca pelo bi

Em Novembro se iniciava a busca pelo bicampeonato mineiro. Assim, diante de América, Atlético e Ideal/Ipatinga, as Cabulosas almejavam o bi. Porém, antes disso, duas atletas deixaram a raposa: Godói e Letícia. Porém, devido a um surto de COVID, teve que jogar no sacrifício e despontou um destaque inesperado: a até então atacante Thamiryz entrou e ficou como zagueira até o fim da competição, com louvor. Mas, ainda sim, a equipe foi para a disputa do certame estadual com tudo! Na fase classificatória ficou em segundo com 10 pontos, indo para a final contra o Atlético, no Mineirão. Infelizmente, o título não veio, mas em uma final emocionante, não faltou entrega.

Ocupação de novos espaços

Quando se fala em futebol, observamos um espaço majoritariamente ocupado por homens. Porém, o futebol feminino tem proporcionado desde a Copa do Mundo de 2019;a ocupação desse espaço cada vez mais por mulheres. Assim, com o Cruzeiro não foi diferente. Pois, seja nas arquibancadas do SESC Venda Nova ou no Mineirão, as mulheres mostraram que podem ocupar e merecem demais esses lugares. Nesse sentido, é importante destacar os 2 jogos realizados no Mineirão na temporada 2020: Grêmio pelo Brasileiro Feminino A1; Atlético pelo Campeonato Mineiro Feminino.

As Cabulosas

Ela são Cabulosas mesmo? Sim! Pois, chegamos ao final de 2020 com um saldo muito positivo. Mas, para além do saldo, vamos destacar também a caminhada. Afinal, a equipe se fortaleceu. Pois, foi resiliente, teve suas conquistas dentro e fora de campo. Boas campanhas, ocupação de novos espaços, numeração fixa, apoio da torcida e por ai vai; essas são as marcas delas. Que venha 2021! Estamos prontos!

Diego Marinho
Cruzeirense, historiador e apaixonado pelo Cruzeiro e por Futebol Feminino. Cobrindo o As Cabulosas através do Diário Celeste e da página Futebol Feminino Celeste.

Deixe uma resposta

Páginas Heróicas

Pablito, humildade e gargalhada

Salve Nação Celeste!!! CENA 1: Eu, esse que vos escreve, evoluindo dia a dia na arte de driblar a toxicidade das redes sociais e conseguindo ser...

Mais popular