sábado, maio 28, 2022
HomeNotícias do CruzeiroWagner Pires e conselheiros são intimidados e expulsos de bar por torcedores...

Wagner Pires e conselheiros são intimidados e expulsos de bar por torcedores do Cruzeiro

Um dos responsáveis pelo caos político e administrativo no clube que levou a queda foi reconhecido em um bar na região centro-sul de BH

Na noite de sexta-feira (1), o ex-presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, e sua esposa foram obrigado a sair de um bar na região centro-sul de BH. Além deles, estava também Sérgio Murilo Braga (conselheiro do clube). O motivo foram xingamentos de torcedores do Cruzeiro que estavam no local e o reconheceram, inclusive, com um deles ironizando:

“O Wagner, esquece não. Você tem que pagar. Você não pagou nem o Cruzeiro. Tem que pagar aqui, irmão. Tem que pagar aqui. Vem pagar a conta aqui irmão.”

Trajetória de Wagner Pires no Cruzeiro

Eleito em 2017, Wagner delegou suas funções a Itair Machado e Sérgio Nonato. Além disso distribuiu cargos remunerados (mesmo sendo vedado pelo estatuto) fortalecendo o famoso grupo da Família União. Ademais, contou com os bons resultados dentro de campo das conquistas do bi campeonato da Copa do Brasil e Mineiro, bem como a ótima campanha na primeira fase da Libertadores de 2019.

No entanto, após reportagem exibida na TV Globo, a verdade veio a tona: diretoria celeste estava sendo investigada por lavagem de dinheiro, falsificação de documentos e falsidade ideológica. A situação ficou ainda mais complicada quando o Cruzeiro foi eliminado na Libertadores e Copa do Brasil, por River Plate e Internacional, respectivamente.

Dessa forma, o desempenho em campo acompanhou o caos politico e administrativo que se instalou no clube. Falta de planejamento, salários atrasados e péssimo futebol culminaram na inédita queda da raposa pra série B. Por fim, financeiramente ficou insustentável: a divida que era de R$ 386 milhões, subiu para R$ 1 bilhão na gestão de Wagner Pires de Sá.

Réu na justiça

Em Agosto de 2020, a Polícia Civil concluiu a investigação de possíveis crimes cometidos por Wagner e seus diretores. Dessa forma, ele, Itair Machado, Sérgio Nonato, Fabrício Visacro e mais 4 empresários tornaram-se réus por: lavagem de dinheiro, apropriação indébita, falsidade ideológica e organização criminosa.

Deixe uma resposta

Diego Marinho
Diego Marinho
Mineiro, 30 anos. Graduado em História, setorista de futebol feminino e do Sada Cruzeiro/Cruzeiro - Diário Celeste

Leia também

Mais popular