NotíciasSada Cruzeiro

Sada Cruzeiro tem recurso rejeitado pelo CAS e é condenado a pagar divida milionária a central Simon

Em processo envolvendo a saída do central Simon, o Sada Cruzeiro teve o recurso rejeitado pela Corte Arbitral do Esporte (CAS). Dessa forma, o pedido do cubano foi ratificado com procedente. Assim, a raposa terá ainda que pagar as custas processuais e dívidas com ele no valor de aproximadamente R$ 2,5 milhões.

Entenda o caso

Cubano, o central Simon foi contratado pelo Sada Cruzeiro em 2016 para a vaga de Éder Carbonera. Desde então, foi ganhando espaço na equipe treinada por Marcelo Mendez até se tornar títular. Assim, fez parte do ciclo de conquistas da equipe celeste durante 2 anos.

Contudo, em 2018 comunicou o desejo de sair do clube antes do fim do seu contrato que seria em 2019. Na sequência, não se reapresentou para a temporada 2018/19 alegando não recebimento de salário. Um pouco depois, foi anunciado pelo Civitanova, da Itália, mesmo tendo contrato com o Sada.

Diante disso, o Sada Cruzeiro recorreu a Federação Internacional de Vôlei (FIVB) exigindo pagamento de multa rescisória no valor de R$ 1,6 milhões pelo descumprimento do contrato. Enquanto Simon, exigiu pagamento de valores referentes a violações do contrato, por não ter recebido pagamento de salários.

Em 2020, a Federação Internacional julgou procedente o pedido de Símon. Recentemente, a Corte Arbitral do Esporte ratificou a decisão da FIVB, condenando também o clube celeste ao pagamento de valores ao cubano, que atualmente defende o Piacenza, da Itália.

Diego Marinho

Mineiro, 31 anos. Graduado em História, setorista do Cruzeiro no Diário Celeste.

Veja mais

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo