Notícias

Fernando Seabra reconhece falhas em empate do Cruzeiro com Alianza; veja

Cruzeiro saiu vencendo por 3x0, mas sofreu empate no segundo tempo

Em jogo na noite da quinta-feira (11), o Cruzeiro saiu na frente, mas sofreu o empate de forma dolorosa para o Alianza. O confronto foi o segundo empate do Cruzeiro na Copa Sul-americana, e o técnico Fernando Seabra reconheceu as falhas do elenco.

“Não soubemos manter o jogo na nossa característica e acabamos infelizmente cedendo os gols. Agora, temos que pesar na balança que tivemos bons comportamentos no primeiro tempo, porém não tivemos consistência nos bons comportamentos. Então, diante da proposta que está sendo implementada, é um ponto de partida em que teremos muito claro o que precisa reforçar, o que não podemos permitir e, a partir daqui, crescer para o próximo jogo.” – Disse Fernando Seabra sobre o empate

Na sua análise, Fernando Seabra começou falando do primeiro tempo: “Dois tempos totalmente distintos de jogo, e os atletas conseguiram produzir um primeiro tempo muito bom. Para dois dias de trabalho, conseguimos mudar muitos comportamentos defensivos, ter muitas recuperações da bola no campo de ataque. O adversário buscou variações, e ainda assim, conseguimos neutralizar a maior parte delas. Construímos uma vantagem no placar.”

Ainda sobre a primeira etapa, Seabra complementou: “Conseguimos também ter controle da bola, mudar muito o ponto de ataque, ter variações ofensivas, e já mostramos um sinal de queda no final do primeiro tempo. Perdemos um pouco da agressividade (e) da objetividade com a bola e mostramos algumas deficiências em defender bolas que o Alianza colocou em profundidade, ou bolas diagonais.”

Segundo tempo

Sobre o segundo tempo, Fernando Seabra começou analisando: “No segundo tempo a gente volta com um certo domínio e presença ofensiva, e o adversário ajustou algumas subidas de pressão enquanto a gente trabalhava a bola com os zagueiros, e tivemos dificuldade de dar sequência nesse jogo.”

Na sequência o treinador do Cruzeiro disse: “Sofremos diversos contra-ataques e isso gerou desgaste, e estávamos muito expostos com o risco de sofrer, e depois do primeiro sofremos o segundo gol em transições do adversário. Isso fez com que a gente antecipasse algumas trocas para ter consistência nas transições. A equipe voltou a ficar um pouco mais equilibrada.”

Por fim, Fernando Seabra declarou: “Tivemos algumas oportunidades. Uma mais clara e duas boas chegadas também para definir o jogo com o quarto gol, e não fomos felizes. No final do jogo, proporcionamos muitas situações de falta para o adversário, que já é um time alto, forte na boa aéreas. Fomos um pouco ansiosos, precipitados, e levamos o jogo para a característica do adversário.”

Diego Marinho

Mineiro, 31 anos. Graduado em História, setorista do Cruzeiro no Diário Celeste.

Veja mais

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo