Notícias

Árbitro relata na súmula que torcedores do Cruzeiro invadiram o gramado e foram em direção a torcida do Coritiba e não dos jogadores

Muito tem se falado sobre a invasão de torcedores do Cruzeiro no último sábado (11), inicialmente especulou-se que as pessoas que invadiram o gramado da Vila Capanema, estariam indo em direção aos jogadores da Raposa, no entanto, não foi o que o árbitro relatou na súmula da partida.

Na súmula da partida, o árbitro Bráulio da Silva Machado relatou que após invadir o estádio, a torcida do Cruzeiro foi em direção ao setor destinado a equipe mandante, que também acabaram invadindo o gramado da Vila Capanema.

O Cruzeiro deverá receber uma punição do STJD, e terminar o Brasileirão sem a presença da torcida em suas partidas. Após o término do confronto diante do Coritiba, o CEO da SAF da Raposa, Gabriel Lima, fez críticas aos invasores do último sábado.

Foto: Divulgação / CBF

Informo que aos 45 minutos do 2º tempo, no momento em que a partida estava paralisada e os atletas da equipe mandante comemoravam um gol, ocorreu uma invasão generalizada por torcedores que estavam localizados no setor especifico da torcida visitante Cruzeiro SAF, que partiram em direção ao setor destinado aos torcedores da equipe mandante. Em ato continuo, parte da torcida da equipe mandante Coritiba SAF também invadiu o campo de jogo partindo em direção aos torcedores da equipe visitante que haviam invadido o campo de jogo gerando um confronto generalizado. em decorrência da invasão generalizada e pensando em preservar a integridade física das pessoas credenciadas, orientamos aos mesmos que se dirigissem ao vestiário até que fosse restabelecida a segurança e a ordem, e novas orientações por parte do comandante do policiamento relativas à segurança fossem repassadas a equipe de arbitragem. Durante a evacuação do campo de jogo, notamos a intervenção da polícia militar e seguranças para conter a invasão e dispersar os invasores para fora das imediações do campo de jogo. Informo que durante os 30 minutos protocolares em concordância com o rgc art.20, entramos em contato com o comandante da operação cap. e.j.f. e o mesmo nos relatou o procedimentos e ações realizados durante a paralisação da partida. O comandante no relata neste momento que, a polícia militar havia dispersado das imediações do campo de jogo, além de retirar ambas as torcidas, citadas por ele como “organizadas” do estádio. Ainda cabe destacar que o comandante enfatizou que os torcedores visitantes foram escoltados aos ônibus e conduzidos até a saída da cidade, e os torcedores da equipe local envolvidos, da mesma forma, foram conduzidos e escoltados até sua sede. dito isso, o comandante nos pede mais 5 minutos para realização de varredura e vistoria nas imediações do campo de jogo, para posterior garantia de segurança. passado o tempo solicitado, o comandante nos informa que a segurança estava totalmente reestabelecida, que não haviam danos nos alambrados, colocando ainda um “cordão de policiais em torno do gramado”, assim garantindo total segurança para reinicio da partida. após esta informação, comunicamos as equipes sobre o procedimento que seria realizado e deu-se reinicio a partida sem mais problemas ou intervenções. destaco que ate o fechamento deste súmula não foi nos foi informado a identificação dos envolvidos no confronto. Segue em anexo relatório sobre os fatos ocorridos, fornecido pelo delegado da partida demafe, sr l.c.o.

Diário Celeste

No Diário Celeste você acompanha as notícias do Cruzeiro Esporte Clube, estatísticas, jogos e resultados, vídeos e muito mais, tudo que você procura sobre o Maior de Minas.

Veja mais

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo